Expressões informais

Porque as pessoas “dão o cano”?

 

 

 

By  | 

Porque as pessoas “dão o cano”?

A lenda: as pessoas tratantes são apenas distraídas e não faz mal pegar leve com elas.

Todos nós temos um amigo que é um pouco tratante. Você sabe de que tipo de amigo estamos falando aqui: é daquele amigo que confirma presença nos eventos, mas aí cancela no último minuto … ou, às vezes, simplesmente nem aparece. Até promete te ajudar com aquela apresentação, a organizar um jantar, ou com outra atividade, mas então “esquece” na última hora. É irritante, mas você geralmente deixa passar. Afinal, você mesmo já deu o cano algumas vezes, e também não é como se o seu amigo tivesse feito isso de propósito. Ele (ou ela) só é um pouco distraído, e não consegue deixar de ser assim. Certo?

Porque a gente troca as bolas?

A realidade: quem é tratante frequentemente não se importa em desperdiçar o tempo dos outros, além de estar sabotando a si mesmo.

Não queremos pensar que os nossos amigos tratantes estão sendo mal-intencionados (nem mesmo no subconsciente), mas a verdade é que esse comportamento espontâneo de “espírito livre, sem compromisso” que se reflete vez por outra em “dar o cano” não é realmente tão inofensivo assim. Isso, de fato, revela uma séria falta de percepção – e há algumas razões pelas quais alguém poderia estar agindo dessa forma.

“Algumas pessoas simplesmente não conseguem dizer não, então dizem sim em princípio, mas depois voltam atrás”, diz Andrea Bonior, psicóloga clínica da Georgetown University, em Washington, DC e autora de “The Friendship Fix” (O Conserto da Amizade). “É clássico: elas se sentem culpadas dizendo não por receio de um conflito, então elas simplesmente concordam com tudo … Mas você sabe que mais tarde, elas vão estar muito ocupadas ou muito estressadas, e irão se livrar com alguma desculpa esfarrapada”.

03 maneiras para dominar a arte de dizer “não”.

Na maioria dos casos, os tratantes têm pouca habilidade em gerenciamento de tempo e pensam que podem fazer tudo em um período de tempo ilogicamente curto. “Muitas pessoas superestimam suas habilidades”, observa Steven Berglas, um psicoterapeuta e autor de “Your Own Worst Enemy: Understanding the Paradox of Self-Defeating Behavior” (O Seu Próprio Pior Inimigo: Entendendo o Paradoxo do Comportamento Contra-produtivo. “Elas se sobrecarregam e não deixam tempo para se prepararem para as tarefas críticas, por isso acabam falhando. É um comportamento prejudicial a elas mesmas”.

Mas esse tipo de comportamento não prejudica apenas o tratante. Muitas vezes, isso indica que elas não se importam em desperdiçar o tempo de outras pessoas – ou mesmo que, secretamente, acham o tempo delas mais importante do que o dos outros. “Essas pessoas são um pouco mais egoístas e raramente se colocam no lugar do anfitrião”, observa Bonior.

Como estabelecer limites saudáveis

Ignorar os constantes “canos” pode fazer mais mal do que bem a uma amizade a longo prazo (quando não se pode contar com alguém, é difícil confiar nessa pessoa). Mas antes de confrontar um amigo tratante, é importante descobrir se ele ou ela é um tratante involuntário, ou se algo mais sombrio está acontecendo. “Você deve observar se a pessoa é consistente”, diz Berglas. “Se uma pessoa está sempre atrasada, então não é algo malicioso ou intencional. Mas quando ela só está atrasada para fazer você esperar por ela, ou somente quando a situação não a beneficia diretamente … então ela está tentando estabelecer poder. E isso é manipulador e agressivo”.

No entanto, nem tudo está perdido: um amigo tratante, como um bom vinho, muitas vezes melhora com o tempo, diz Berglas. A idade ensina que, se ele não mudar seu jeito de ser, coisas ruins acontecerão (por exemplo, seus amigos não vão inclui-lo em seus planos futuros). A chave é que o tratante perceba que ele precisa investir em sua comunidade e família por ser mais consciencioso e levar a sério seus compromissos.

Desafio: Livre-se já do rancor!

Quando se trata de um tratante incorrigível – que nunca percebe que ele tem um problema – você talvez queira preparar uma intervenção. Mas lembre-se: na maioria dos casos, os tratantes não estão conscientemente tentando te desrespeitar. Então, tome cuidado ao tentar colocá-los na linha, você poderá arruinar a sua amizade. Bonior sugere que você se volte para uma análise introspectiva e foque em descobrir se realmente o atraso dele atrapalha a sua vida ou te faz sentir-se subestimado. Também, lembre-se de elogiá-lo se ele chegar no horário marcado. Um pouco de incentivo poderá ser positivo agora e poupar muita frustração no futuro.

Recapitule os pontos principais do artigo: “Porque as pessoas dão o cano?”:

  1. Todos nós damos o cano às vezes, mas pra tudo há um limite.
  2. Não deixe faltar consciência ou percepção no “espírito livre”.
  3. Ignorar os constantes “canos” de um amigo pode ser prejudicial ao relacionamento.

Fonte original de Serusha Govender via CNN: “Why do people flake out?”

[noex]

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *